Festival Fartura Gastronomia São Paulo

O Festival Fartura Gastronomia, um dos maiores do país, passou por São Paulo com chefs e produtores de todos os estados brasileiros.

Com ingressos esgotados e mais de 8.000 visitantes nos dois dias de evento, a primeira edição do Festival Fartura na capital paulista foi um sucesso e contou com chefs de norte a sul do País, como Angelita Gonzaga (SP), Morena Leite (SP), Daniela Martins (PA), Ariani Malouf (MT), Tássia Magalhães (SP), Kátia Barbosa (RJ), Heloísa Bacellar (SP), Lia Quinderé (CE), e Bel Coelho (SP).

Da exótica Damurida, comida típica de Roraima preparada por Denise Rohnelt, de Boa Vista, a uma costela do Rio Grande do Sul preparada ao vivo por Antônio Costaguta, do El Topador de Porto Alegre, estiveram presentes 130 atrações gastronômicas no Festival Fartura Gastronomia São Paulo, que aconteceu no Jockey Club no final de semana de 25 e 26 de junho.

O Festival Fartura São Paulo faz parte do Projeto Fartura Gastronomia, que realiza a Expedição Fartura Gastronomia e já mapeou a cadeia produtiva gastronômica (do campo ao prato) de todos os estados brasileiros inclusive o Distrito Federal, rodando mais de 60 mil quilômetros em cinco anos. Este conteúdo pesquisado é levado para os cinco eventos do Projeto que acontecem em Porto Alegre, Fortaleza, São Paulo, Belo Horizonte e o tradicional Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes. Estes eventos em 19 anos de existência já atraíram mais de 500 mil pessoas. O mesmo conteúdo pesquisado é desdobrado em canais de comunicação, que também fazem parte do projeto, que são os quatro livros premiados (Prêmio Jabuti e Gourmand) três filmes e redes sociais.

IMG_2773

O Festival Fartura São Paulo foi dividido em oito espaços gastronômicos dois palcos para atrações musicais e artísticas e área dedicada para Food Trucks.

Entre as atrações, o visitante pôde provar pratos de grandes chefs de diversos estados do País, mas o prato mais disputado foi o PF da chef (costela bovina assada em baixa temperatura, acompanha arroz brasileiro com queijo coalho, milho, ovo surpresa, banana caramelizada e farofa da terra), da Ariani Malouf, do restaurante Mahalo Cozinha Criativa, de Cuiabá, MT.

Mas a melhor parte do evento, na minha opinião, foi a aula sobre Cervejas Artesanais Brasileiras, com a Kathia Zanatta, do Instituto da Cerveja Brasil (São Paulo, SP), que aconteceu no Espaço Aulas SENAC. Ela contou um pouco da história da cerveja, lembrando que foram as mulheres que inventaram esta preciosidade. A Kathia contou, também, como são feitas as cervejas, como elas estão sendo fabricadas no Brasil, falou sobre o crescente número das micro cervejarias e de como o mercado tem reagido a este fenômeno.

Além de experimentar pratos dos chefs de todo o Brasil, os visitantes do Festival Fartura Gastronomia de São Paulo puderam acompanhar as atrações musicais que aconteceram durante os dois dias do evento. A minha apresentação favorita foi a da cantora cearense, Lorena Nunes.

Espero que o Festival Fartura Gastronomia venha mais vezes para São Paulo, porque eu adorei!!

Para maiores informações, clique sobre o nome do evento, no primeiro parágrafo do texto.

Cervejaria Bohemia e Bauernfest em Petrópolis

No último sábado, dia 25/06/2016, fui visitar a Cervejaria Bohemia e a Bauernfest em Petrópolis.

Foi um bate e volta super rápido, mas foi o suficiente para conhecer a lindíssima Cervejaria Bohemia e a animada Bauernfest, além de me apaixonar por Petrópolis e experimentar cervejas sensacionais.

Eu e mais um grupo super divertido, chegamos em Petrópolis e fomos direto para a cervejaria, lá vimos um pouco de onde é feita a produção das cervejas e onde estão os barris da Bohemia Reserva, uma cerveja do estilo Barley Wine, envelhecida por mais de 12 meses.

IMG_2692

Saindo de lá fomos para a Bauernfest, a Festa do Colono, que está na sua 27a edição e que espera a visita de 300 mil visitantes durante os 10 dias de festa. O evento resgata as raízes germânicas da cidade com a chegada dos primeiros alemães em 1845, com apresentações folclóricas, culinária alemã e muito chope Bohemia, inclusive a cervejaria produziu um chope exclusivo com o nome da festa que é muito bom!

IMG_2693

Voltamos para almoçar no restaurante da Cervejaria Bohemia, que foi todo reformado. E oferece pratos típicos alemães, entre outras opções a preços muito acessíveis.

IMG_2698Eu comi o Schnitzel, um filé à milanesa enorme que acompanha salada de batatas, para harmonizar eu tomei várias cervejas, inclusive uma Wäls Brut, elaborada através do método champenoise. E claro, muitas Bohemias, como a 14-Weiss, a Bohemia Reserva, a Bohemia Imperial, a Caá-Yari, a 838 Pale Ale e o chope Bohemia Bauernfest!

Bohemia

 

E como sempre, as companhias fizeram toda a diferença e eu quero muito agradecer à todos, a Tatiana da In Press Porter Novelli, a Cecilia do Yes We Cook, o Diego do BuzzFeed Brasil, o Gustavo, o Rafael que estava representando o Bar do Celso, e o Rodrigo do Hypeness. Super obrigada, sem vocês o dia teria sido bom, mas não seria tão divertido!!!

Para maiores informações, clique sobre o nome da cervejaria, no primeiro parágrafo do texto.

C.O.D. Craft On Draft – Cerveja de qualidade na porta da faculdade

O recém inaugurado C.O.D. Craft On Draft oferece cerveja de qualidade na porta da faculdade, deu até vontade de voltar a estudar!

Meninas e meninos da FAAP e todos os outros moradores de Higienópolis e região, localizado na Rua Alagoas, 900, o C.O.D. Craft On Draft é um bar muito bacana, especializado em cervejas artesanais, principalmente chope e algumas raridades em garrafa.

IMG_2356

 

São 10 torneiras, sendo duas fixas com rótulos exclusivos da casa, uma Bohemian Pilsen (ABV: 5,0% e IBU:25) e uma American IPA (ABV: 7,5% e IBU: 60) e oito rotativas – garimpadas a dedo, entre nacionais e importadas.

O projeto do C.O.D. Craft On Draft é do Uri Benedykt, que já trabalhou com importadoras de cervejas, insumos para cerveja e também com bares e restaurantes. Ele montou um sistema bem legal para servir o chope nas melhores condições possíveis e um ambiente bem despretensioso, pensado para atrair quem gosta de cerveja mesmo, sem complicações gourmetizadas.

C.O

Como acompanhamento para tantos chopes, eu recomendo a deliciosa tábua de queijos e a maravilhosa empanada tradicional que o C.O.D. Craft On Draft oferece para harmonizações inesquecíveis!

Para maiores informações, clique no nome do estabelecimento, no primeiro parágrafo do texto.

Machismo no Boteco, até quando?

Em comemoração ao Dia do Publicitário, nós viemos solicitar uma reflexão da sociedade em geral sobre o que está acontecendo com a publicidade de bebidas alcoólicas, principalmente das cervejas, ao redor do mundo. Machismo no Boteco, até quando?

Lá vem elas com esse assunto de novo? Pois é gente, já conversamos, explicamos, argumentamos, mas há uma resistência em admitir, e pior, em abandonar o machismo no boteco, até quando?

Até quando vamos ter que ver uma cerveja que nós adoramos e consumimos com o maior prazer, fazer uma propaganda dizendo que nós precisamos de heróis? Até quando a publicidade vai sustentar a ideia de que o único consumidor é o macho caçador? E de que é para ele que todas as propagandas têm que ser direcionadas?

Isso reforça a cultura machista, desrespeita e objetifica a mulher, faz com que o machismo seja naturalizado e aceito como normal.

Em 2015, uma ação inusitada do movimento cervejeiro americano #WeAllLoveBeer  respondeu a questão: “A voz das mulheres consegue ser ouvida em um bar?” de uma maneira criativa. O grupo instalou câmeras escondidas em bares e restaurantes dos EUA e o resultado é surpreendente: em uma cena que se repete dezenas de vezes, mulheres aparecem “decepcionadas” ao receberem drinques ao invés de cerveja –a bebida que todas elas haviam pedido aos garçons. Enquanto isso, os homens, igualmente decepcionados, recebem as cervejas, que não pediram.

“Isso acontece sempre que vamos a um bar: eles sempre colocam o Martini para ela e a cerveja para mim”, afirma um dos homens dos casais flagrados no filme. Em outro momento, uma das mulheres questiona o comentário de um garçom: “Qual é a aparência de quem bebe cerveja?”.

Ao expor de maneira simples, inteligente e criativa o preconceito velado no universo cervejeiro, o vídeo virou hit nas redes sociais e já teve mais de um milhão de acessos no Youtube.

“Infelizmente ainda somos vítimas de preconceito, talvez vinculado a uma cultura machista, que vincula o consumo de cerveja e as profissões relacionadas à bebida exclusivamente aos homens. Mas a cerveja é democrática em todos os sentidos: aromas, sabores e preços…”, afirma Káthia Zanatta, beer sommelière, sócia-diretora do Instituto da Cerveja, professora e co-fundadora do curso de Sommelier de Cervejas da Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo.

O consumo de bebidas alcoólicas entre as mulheres não para de crescer, os bares estão cada vez mais repletos de mulheres, e vocês, caros publicitários, acham mesmo que nós estamos a procura de um herói? Machismo no Boteco, até quando?

Marolinha: A nova Musa do Verão

A Marolinha é a nova Musa do Verão na Cervejaria Nacional!

Na última segunda feira, dia 18, estivemos na Cervejaria Nacional, a fábrica-bar pioneira da cidade, para experimentar uma novidade refrescante, a Marolinha!

A receita celebra a quarta edição do projeto Musas do Verão e foi desenvolvida por Kathia Zanatta – mestre cervejeira por gosto e profissão e sócia-diretora do Instituto da Cerveja Brasil –, que volta às panelas do brew pub na companhia de Beatriz Ruiz, sommelière pela ABS-SP e Mestre em Estilos de Cervejas pelo Instituto da Cerveja Brasil e do mestre cervejeiro da casa, Guilherme Hoffmann.

A Marolinha é uma Session beer, fermentada com levedura de baixa fermentação que resulta em uma Session Lager. Com alto teor de refrescabilidade, a cerveja possui amargor na medida dos melhores lúpulos alemães, Mittelfrueh e Hersbrucker. De coloração âmbar claro, será servida com Nitrogênio, tendo como resultado uma espuma altamente cremosa e densa, deixando o aroma dos lúpulos em evidência.

Com 25 IBU e 3,8% de teor alcoólico, a Marolinha, estará nas torneiras da Cervejaria Nacional enquanto durarem, seus 500 litros que serão vendidos em pints de 320 ml (R$ 17) e 550 ml (R$ 25).

Cervejaria Nacional
Endereço: Av. Pedroso de Morais, 604, Pinheiros
Telefone: 11 4305-9368
Telefone para reservas: 11 3034-4318
Site: www.cervejarianacional.com.br
Horário de funcionamento: segunda a quarta-feira, das 17h às 0h, quinta–feira, das 12h às 0h, sextas e sábados, das 12h às 1h e domingos, das 13h às 21h.