Chico e Alaíde, uma orgia gastronômica no boteco

São mais de 40 tipos de petiscos que fazem do Chico e Alaíde uma orgia gastronômica no boteco!

Localizado numa das esquinas mais movimentadas do Leblon, no Rio de Janeiro, o Chico e Alaíde, é um ponto de encontro para as boêmias e boêmios do bairro.

IMG_7844

Os petiscos do Chico e Alaíde são de deixar qualquer um de boca aberta! Então vá com fome e entre nessa orgia de cabeça na porção de carne seca com farofa (foto acima).

IMG_7847Depois se jogue sem pudor no bobozinho de macaxeira com camarão, no totivendo de jerimum com camarão e catupiry, no nosso querido torresminho e na “impossível comer uma só” muquequinha da Alaíde (foto acima).

IMG_7845

Mas vai comer tudo isso sem beber nada? Lógico que não! As caipirinhas do Chico e Alaíde dão vontade de mergulhar dentro do copo (foto acima) e o chope é estupidamente gelado!

Para maiores informações, clique no nome do estabelecimento, no primeiro parágrafo do texto.

Galeto Sats, a melhor saideira do Rio de Janeiro

Com porções super saborosas, chope gelado, caipirinhas caprichadas e muitas opções de cachaças, o Galeto Sats, é a melhor saideira do Rio de Janeiro.

Localizado no coração de Copacabana, no Rio de Janeiro, o Galeto Sats, é um boteco espetacular!

IMG_7838

Nossa sugestão é chegar e pedir de cara um chope gelado, uma porção de pão de alho e uma porção de coração de galinha! Aí já vai dar para ter ideia de como a sua experiência no Galeto Sats vai ser repleta de sabores e sensações.

Em seguida, peça a farofa de ovo e o galeto, se estiver com muita fome peça um picanha fatiada também! Para acompanhar, uma caipirinha de limão ou maracujá, de cachaça, é lógico!

IMG_7840

Agora decida quais das porções do Galeto Sats você gostou mais e peça de novo para acompanhar as várias cachaças que você vai querer experimentar!

Ah, e por que é a melhor saideira do Rio de Janeiro? Porque o Galeto Sats fica aberto todos os dias, do meio dia até às 5h da manhã. Juro! E sim, sempre está cheio!

Para maiores informações, clique no nome do estabelecimento, no primeiro parágrafo do texto.

Severyna, um achado na Glória

Quando estiver com muita fome e sede de caipirinha, vá ao Severyna, um achado na Glória!

IMG_7827

Sábado à noite, caminhando sem rumo pela Glória, no Rio de Janeiro, com uma fome gigante e uma vontade louca de tomar uma caipirinha bem feita, dei de cara com Severyna!

Severyna é um boteco delicioso, com um cardápio que mistura o melhor da culinária nordestina, como baião de dois, carne de sol, carne seca, feijão de corda, macaxeira, pirão de leite, camarão, entre outros, com pérolas da cozinha portuguesa, como o bolinho de bacalhau. Nossa sugestão é o Juntinho (carne de sol fatiada, carne seca desfiada, baião de dois, tutu e macaxeira frita) é sensacional e serve, tranquilamente, quatro pessoas, apesar de estar indicado para duas pessoas, no cardápio.

O ambiente do Severyna é bem simples, o salão é amplo e tem ar condicionado, o atendimento é rápido e acolhedor.

E a caipirinha, ah a caipirinha, é tão boa, mas tão boa que não consegui esperar a comida chegar para ela sair completa na foto.

IMG_7825

Agora vocês já sabem, estão à toa pela Glória, estão com uma fome descomunal ou estão sedentos por uma caipirinha tradicional muito bem feita, corram para a Severyna da Glória e sejam felizes para sempre!

Para maiores informações, clique em cima do nome do estabelecimento, no primeiro parágrafo.

Espírito Santa, um restaurante divino em Santa Teresa

Uma fachada simples esconde vários ambientes incríveis, com bebidas e comidas deliciosas, assim é o Espírito Santa, um restaurante divino em Santa Teresa.

Em um domingo comum, no Rio de Janeiro, resolvi ir a pé da Glória até Santa Teresa, quem conhece o caminho sabe que tem uma subidinha invocada, claro que cheguei lá em cima morrendo de fome e sede, passei por um restaurante alemão que não me chamou muito a atenção, um pouco mais a frente uma moça simpática, me mostrou o cardápio de outro restaurante, o Espírito Santa, ela contou que a chef é manauara e me convidou para conhecer a casa, a fachada era bem simples, mas quando eu entrei…

Espírito_Santa-001

O primeiro salão, mais perto da porta, é bem aconchegante, dali é possível ir para um terraço ao ar livre ou descer uma escada até um salão maior, com ar condicionado, muito confortável. Como estava super calor, resolvi ficar no salão maior do piso inferior, a vista, para as casas antigas e majestosas de Santa Teresa, é a mesma do terraço. De cara já me senti muito à vontade no Espírito Santa.

O garçom rapidamente trouxe o cardápio e nós pedimos uma caipirinha de maracujá e um coquetel da casa, o Sateré Maué, drink super refrescante com guaraná, vodka, suco de laranja e gengibre.

Espírito_Santa

Para acompanhar os drinks, pedimos dois pratos com carne, o Guerreiro (medalhão de mignon grelhado com queijo brie e crosta de pão ao alho, molho de vinho e chips de batata) e o Picadinho Atolado (filé mignon picado na faca salteado com vinho, servido sobre aipim manteiga cozido, farofa de erva mate à moda do Vergara).

Todos os pedidos feitos no Espírito Santa estavam sensacionais, mas o que mais nos surpreendeu e fez um namorado que não gosta de doces devorar a sobremesa, foi o Maracatu (tortinha crocante de chocolate recheada com doce e geleia de cupuaçu, crocante de castanha e calda de chocolate), minha boca enche de água só de pensar.

Elogios não conseguem descrever a maravilha que é este lugar, vocês têm que conhecer o Espírito Santa!

Para maiores informações clique em cima do nome do estabelecimento, no primeiro parágrafo.

Meninas Por Aí – 5 Bares no Rio de Janeiro

Papel Dourado empastado (duplamente colado), com brilho, enviado via Correios. Esta era a descrição do Save the Date que recebi há uns três meses atrás para um evento no Rio de Janeiro. Não sei se já contei aqui no Blog, mas trabalhei com Eventos Sociais durante uns dez anos, e toda vez que recebo um convite, faço a análise de todos os detalhes. Já pelo Save percebi que seria um evento extraordinário! Pensei comigo, vale um final de semana inteiro na Cidade Maravilhosa e é claro, vou poder fazer mais uma programação: o Meninas por Aí – 5 Bares no Rio de Janeiro.

Passagens compradas, hotel reservado e era hora de pedir ajuda para os nossos seguidores do Facebook e Instagram. Recebemos muitas dicas e tracei a rota para fazer tudo perto do hotel que iria me hospedar. Sempre tento me programar para fazer o máximo de trajetos a pé ou de táxi, uma vez que o tour é etílico e, dirigir e beber não combinam em hora alguma.

Claro que não podia deixar de ter mais uma expert em bares me guiando e foi por isso que agendei parte do tour com a querida Isa Bello Fornari, Sommelier de Cachaças e uma pessoa muito especial. Ela carinhosamente se ofereceu, junto ao  Paulo, mega top bartender, para me acompanhar em alguns botecos do Rio de Janeiro.

Cheguei na sexta, bem cedinho, fiz check in no Marina Palace e aproveitei para ver o amanhecer na praia do Leblon, caminhando e absorvendo o clima do Rio de Janeiro que é deliciosamente contaminante. Decidi almoçar perto do hotel e curtir o bairro a pé durante a tarde. Quem não adora o Leblon? Bom eu me apaixonei desde a primeira visita! Fui tomar meu primeiro chope do dia no Botequim Chico e Alaíde, famoso por seus bolinhos e quitutes. E que bolinhos hein?! Até eu que sou mais certinha com a dieta me acabei nos bolinhos, torresmo, caldinho de feijão e giló frito. Não conseguia parar de experimentar! O lugar  é simples, botequim mesmo, apertadinho e desconfortável,  os garçons são meio mal humorados, mas tudo vem quentinho, fresquinho e o clima de bar de esquina do Leblon te impedem de querer ir embora logo. É um boteco de verdade, do jeito que eu gosto, pra ir de rasteirinha e sem make, pra curtir uma tarde jogando conversa fora! Ai que saudade dos bolinhos e do torresmo deliciosos de lá!

CHICO E ALAÍDE

No caminho da volta para o hotel, fiz um trajeto diferente e acabei no Bar Bracarense e já que tinha mesa vaga na calçada, parei e pedi um chope! E mais outro chope, e mais outro!rs Já que eu estava lá de bobeira, passeando, why not? O chope de lá é incrivelmente mal tirado, e o famoso bolinho de bacalhau não é tão maravilhoso assim. Mas o botequim é no Leblon, na calçada, cheio de gente bonita e vale a visita pela história e pela fama de ter sido um dos melhores botecos do Rio. Dizem que era bom quando a Alaíde e o Chico ainda estavam por lá, depois de abrirem seu próprio boteco eles deixaram o Bracarense em maus lençóis. Infelizmente não consegui tirar muitas fotos do Bracarense, acabou minha bateria do Iphone (snif).

BRACARENSE

Já era quase fim do dia e eu havia marcado com a Isa ás 18h, quando me dei conta, tinha 15 minutos para ir até o hotel trocar de roupa e pegar um táxi para Copacabana, com chuva! Com um atrasinho chegamos à Adega Pérola, lugar hoje que chamo carinhosamente de paraíso! A Isa não me decepcionou e indicou um botequim de primeira. Lá tem cerveja artesanal, cachaças variadas, chope e um balcão com todos os tipos de petiscos de boteco. Tinha lula, atum, sardinha, giló, queijos, embutidos, mexilhão, alho e cebola em conservas de dar água na boca, sem falar nos que vinham da cozinha como moela, fígado, torresmo, bolinhos, coração etc. Comi uma porção de alho em conserva e sardinha frita com cebola, na sequência ataquei uma porção de queijo de cabra, tudo acompanhado de cachaça e cerveja artesanal. O botequim estava lotado, tem gente de todo tipo, mas todos curtindo o melhor da vida, um happy hour com os amigos em um ambiente genuinamente carioca. Vou ter que voltar lá toda vez que for ao Rio só para experimentar tudo daquele balcão.

ADEGA PÉROLA

Da Pérola fomos para o Flamengo, conhecer o Paris Bar e fazer uma visita ao Alex Mesquita, um dos bartenders mais reconhecidos aqui do Brasil. Eu já tinha uma expectativa de que seria um lugar legal, mas ao parar na porta já vi que estava enganada. A arquitetura impressiona, é uma casa de 1920, que pertenceu à família que foi responsável pelo aterro do Flamengo, o lugar é deslumbrante. Ao entrar, fiquei encantada com o charme e elegância do bar. Luz baixa, climatização perfeita, móveis lindos e trilha agradável fizeram o ambiente me abraçar. O Alex, gentilmente, reservou um cantinho no balcão para nós, e as cadeiras eram de zebra minha gente, um loooosho! Mas zebra chique, tá? Phyna!! Nos acomodamos e, é claro, deixei o Alex me sugerir um drink, só informei a base que é amargor e uísque e, a partir daí ele criou suas poções mágicas. Ele faz juz a fama, os drinks estavam muito, muito bons.  A companhia estava excelente, o lugar é incrível e o Paris Bar com toda certeza entrou na lista dos bares que mais gostei de visitar até hoje.

Acompanhada pelo gerente, fiz uma visita pela casa que abriga o Paris Bar, Paris Gastrô, um Piano Bar e tem espaços lindos para eventos. A casa é de tirar o fôlego e, segundo recomendações, o Gastrô merece uma visita!! Fica para uma outra vez… De lá iríamos para o Sat´s com a Isa, mas eu estava exausta e tinha que me poupar para o evento do dia seguinte iria até a madrugada!

PARIS

No dia seguinte, descansada e pronta pra mais um boteco fui dar uma volta a pé no Leblon (como é bom passear no Leblon) e acabei parando no Jobi para o almoço. De longe avistei uma movimentação na calçada! Com um calor infernal e um dia lindo, era mais do que esperado que o boteco estivesse cheio de gente bonita e desesperada por um chope geladinho.

Esperei um pouco e consegui uma mesa, bem apertadinha, num cantinho. O Jobi é um ótimo boteco, com a cara e a tradicional muvuquinha dos bares do Rio de Janeiro. As mesas são muito próximas e é um desafio aguentar o calor!rs Mas como eu sou uma apaixonada frequentadora de boteco, já esperava por este cenário. Pedi meu chope (aguadinho), e me aventurei em comidinhas deliciosas como rã empanada, caldinho de feijão, bolinho de bacalhau e é claro, torresmo! Tudo bem feitinho e com a cara do Rio! O atendimento foi bem parecido com o do Chico e Alaíde, meio mal humorado, mas funciona que é uma beleza!

JOBI

Findado o almoço, retornei ao Marina Palace e resolvi descansar até a cabeleireira chegar e me arrumar para a festa. Abri meu bom e velho Jameson para aquecer e entrar no clima para uma das melhores festas que já fui na vida. A noite foi regada a Moet Chandon Rosé prazamiga e muito Gold Label para mim! Do boteco pra uma festa “top furacão”, tudo com a mesma dose de prazer e diversão! Contraste que assina o charme do Rio e me deixa a cada visita mais apaixonada.

Pra fechar o final de semana, voltamos ao Chico e Alaíde no domingo para o almoço. Impossível sair da cidade sem experimentar mais alguns bolinhos de lá. Fui de escondidinho, choquinho (dos Deuses), bolinho de feijoada e  croc de arroz. Todos divinos! Também comi um filé com fritas pra arrematar e curar a ressaquinha! Ô comidinha gostosa viu?!

Segue um mapinha das minhas andanças no Meninas por Aí Rio de Janeiro:


 

E assim me despedi do Rio, tendo passado por muitas mesas e balcões, tomado muitos chopes e vivido intensamente como sempre!!! Foi #tophurricane! Até a próxima, cheers!