Beefeater Mix LDN – Etapa Brasil

A maior competição à base de GIN do Mundo, a Beefeater Mix LDN, anuncia etapa brasileira em 2016. O campeonato que já percorreu 32 países, tem inscrições abertas até o dia 25 de setembro, no site http://www.beefeatermixldn.com. Os candidatos – bartenders profissionais e amadores – deverão elaborar um novo e criativo drink com gin, sob a temática “filmes que se passam em Londres”, já que a cidade, berço da Beefeater, e abrigou clássicos dos anos 60, filmes de espiões e inúmeras comédias românticas.

Sob avaliação da equipe da Pernod Ricard (detentora da marca), oito receitas serão escolhidas. “Queremos incentivar novidades em torno do gin – bebida que no Brasil cresceu 40% no último ano”, afirma Bruno Carvalho, responsável pela Beefeater no Brasil.

beefeater-mix-ldn-final-3

Após essa avaliação, os oito melhores estarão na final brasileira e apresentarão, no dia 20 de outubro, suas criações durante evento em São Paulo produzido pela agência Haute. A partir das 19h, quatro jurados especialistas na bebida e o público consumidor, poderão experimentar e votar na criação perfeita embalado por DJs.

O drink vencedor poderá ser degustado por todo o público – até o fim do ano – durante as festas da agência Haute e em diversos bares e restaurantes da cidade de São Paulo. O bartender vencedor ganha ainda uma viagem para Londres para participar da final mundial do Beefeater Mix LDN e 450 libras para gastar durante o período.

O ganhador do campeonato mundial poderá criar uma edição limitada de seu próprio Gin Beefeater em 2017, sob orientação do Destilador mestre mais experiente do Mundo – com 48 anos de carreira – Desmond Payne.

Cevando o Amargo, o mundo da IPA – India Pale Ale

Cevando o Amargo, o mundo da IPA – India Pale Ale. Como diz o grande e incomparável Lupicínio Rodrigues… Cevando o Amargo. Hoje dedico meu post a ela, IPA – India Pale Ale e seu amargor, mais que sedutor.

Mas calma, na música ele remete ao amargor triste, da perda do amor. Aqui não, vamos falar como esse estilo vem ganhando espaço no coração dos cervejeiros.

Um pouco de História… Esse estilo surgiu na Inglaterra, IPA – India Pale Ale. Durante a colonização da Índia, os ingleses navegavam durante dias e a cerveja que era armazenada geralmente dentro dos navios, oxidava. Para que isso não acontecesse, a mesma recebia uma dose extra de lúpulo, que a tornava mais aromática, além do lúpulo fazer um ótimo papel como conservante da cerveja. Isso quer dizer que ela durava mais, além de ter um teor alcoólico mais alto.

O tempo passou e esse estilo de cerveja foi ganhando um grande espaço, principalmente no Brasil. Cervejas mais aromáticas, com uma coloração que pode variar para o mais avermelhado, onde cada cervejaria traz sua personalidade bem marcante.

Abaixo algumas sugestões:

innis-gunn-toasted-oak-ipa

Innis & Gunn Toasted Oak IPA:
Uma cerveja com bastante presença de lúpulo, elaborada com uma técnica de produção em que o lúpulo é adicionado em 3 pontos diferentes do processo, para aumentar a sua característica de amargor. Além disso, há a maturação em barricas de carvalho tostadas, para remeter ao sabor das cervejas dos anos 1800. Simplesmente uma cerveja deliciosa. Para quem nunca provou uma cerveja nesse estilo, aqui fica uma dica.

Dama Bier India Pale Ale (IPA):
A Dama India Pale Ale possui cor âmbar, com a presença do lúpulo muito mais marcante. Seu aroma cítrico, frutado e sedutor, convidam para mais um gole. Na boca, ela é equilibrada, mas a presença do lúpulo bem evidente, mais amargor e persistência. A harmonização acontece com comida indiana, mexicana, carne suína e queijos como Gouda ou Maasdam.

Giu

Blondine IPA Horny Pig Session – Brasil:
Uma cerveja com personalidade, com lúpulos de aromas mais frescos e cítricos, na boca apresenta um amargor bem pronunciado. Harmoniza com pratos asiáticos.

Cervejaria Bohemia e Bauernfest em Petrópolis

No último sábado, dia 25/06/2016, fui visitar a Cervejaria Bohemia e a Bauernfest em Petrópolis.

Foi um bate e volta super rápido, mas foi o suficiente para conhecer a lindíssima Cervejaria Bohemia e a animada Bauernfest, além de me apaixonar por Petrópolis e experimentar cervejas sensacionais.

Eu e mais um grupo super divertido, chegamos em Petrópolis e fomos direto para a cervejaria, lá vimos um pouco de onde é feita a produção das cervejas e onde estão os barris da Bohemia Reserva, uma cerveja do estilo Barley Wine, envelhecida por mais de 12 meses.

IMG_2692

Saindo de lá fomos para a Bauernfest, a Festa do Colono, que está na sua 27a edição e que espera a visita de 300 mil visitantes durante os 10 dias de festa. O evento resgata as raízes germânicas da cidade com a chegada dos primeiros alemães em 1845, com apresentações folclóricas, culinária alemã e muito chope Bohemia, inclusive a cervejaria produziu um chope exclusivo com o nome da festa que é muito bom!

IMG_2693

Voltamos para almoçar no restaurante da Cervejaria Bohemia, que foi todo reformado. E oferece pratos típicos alemães, entre outras opções a preços muito acessíveis.

IMG_2698Eu comi o Schnitzel, um filé à milanesa enorme que acompanha salada de batatas, para harmonizar eu tomei várias cervejas, inclusive uma Wäls Brut, elaborada através do método champenoise. E claro, muitas Bohemias, como a 14-Weiss, a Bohemia Reserva, a Bohemia Imperial, a Caá-Yari, a 838 Pale Ale e o chope Bohemia Bauernfest!

Bohemia

 

E como sempre, as companhias fizeram toda a diferença e eu quero muito agradecer à todos, a Tatiana da In Press Porter Novelli, a Cecilia do Yes We Cook, o Diego do BuzzFeed Brasil, o Gustavo, o Rafael que estava representando o Bar do Celso, e o Rodrigo do Hypeness. Super obrigada, sem vocês o dia teria sido bom, mas não seria tão divertido!!!

Para maiores informações, clique sobre o nome da cervejaria, no primeiro parágrafo do texto.

Pineapple Route – Absolut Elyx

Na última terça feira, dia 10 de maio, fomos convidadas para conhecer o projeto Pineapple Route da Absolut Elyx, primeira vodka de luxo do país.

Rafael Mendes, embaixador de Absolut Elyx no Brasil, nos explicou o processo de fabricação da Absolut Elyx e nos ensinou a fazer quatro coquetéis com a vodka, sendo um deles no famoso abacaxi de cobre.

Absolut Elyx é a primeira vodka de luxo do mercado, fruto da herança centenária que data desde 1879, quando Absolut foi fundada em Ahus, na Suécia. O processo de produção é completamente artesanal, vai desde a colheita do trigo até ao engarrafamento, e segue os rigorosos padrões do Master Distiller, Krister Asplund, e de seus especialistas sensoriais, que degustam e aprovam cada pequeno lote. Produzida exclusivamente com trigo do castelo de RABELOF, no sul da Suécia, Absolut Elyx é destilada artesanalmente em um alambique de cobre de 1921, resultando em uma vodka de sabor aveludado e inigualável. Totalmente artesanal, a produção da bebida se torna limitada e exclusiva. Recentemente, a vodka foi reconhecida com a premiação de “Best Vodka” e “Double Gold Medal” na San Francisco World Spirits Competition de 2013.

IMG_1421

O projeto Pineapple Route, começará no próximo dia 16, em sete dos mais conceituados bares e restaurantes da cidade de São Paulo. Até 19 de junho, Maní, Miya, Bar Número, Banana Café, Bossa, Chez Oscar e Sarau irão oferecer cada uma um drinque inédito elaborado com a vodka e servido no abacaxi de cobre, um dos símbolos da marca.

“O mix de casas que formam o roteiro do Pineapple Route se destaca tanto pela alta gastronomia como pelo trabalho dos seus bartenders. Cada um foi convidado a usar sua expertise em mixologia para criar uma receita autoral e surpreendente que combinasse com o toque aveludado de Absolut Elyx e ao mesmo tempo refletisse o espírito de cada casa”, explica Rafael Mendes, embaixador de Absolut Elyx no Brasil.

Protagonista da ação, o abacaxi de cobre foi adotado como ícone da marca por ser considerado, na história da Europa, símbolo de hospitalidade e bem receber. Transformado em objeto de desejo, o abacaxi de cobre serve alguns dos cocktails mais luxuosos do mundo elaborados com Absolut Elyx. Além disso, o cobre remete ao cuidadoso e quase secular processo de destilação em colunas de cobre, que garante uma pureza maior ao processo de produção artesanal da vodka.

 

As casas participantes irão oferecer ainda o Easy Money, uma mistura leve e adocicada de sucos de maçã, limão e uva verde, guarnecido com uvas e fatias de maçã, drinque signature da marca no mundo todo. Conheça todas os locais e as criações participantes do #PineappleRoute:

IMG_1422

BANANA CAFÉ
Drinque: Maracusour (R$ 65)
Bar que foi sucesso nos anos 90 e reabriu recentemente suas portas para virar point cool no bairro do Itaim Bibi, o Banana Café criou o Maracusour como parte do Pineapple Route. Mauro Lucas, bartender da casa, se inspirou no símbolo de Absolut Elyx ao criar a receita rica em sabores e aromas tropicais que leva Absolut Elyx com infusão de pepino e cardamomo, maracujá fresco, suco de limão siciliano, clara de ovo e xarope de açúcar.

BOSSA
Drinque: Elixir do Bossa (R$ 75)
Um espaço que integra bar, restaurante e estúdio idealizado pelo empresário e artista multidisciplinar Renato Ratier, o Bossa une gastronomia, música e coquetelaria. Jean Dal Acqua, chef de bar da casa, nomeou de Elixir do Bossa sua criação que leva Absolut Elyx, xarope de tamarindo, suco de limão siciliano, tintura de especiarias e pimentas de cheiro maceradas.

CHEZ OSCAR
Drinque: The Ocean Drive (R$ 65)
Localizado no endereço mais cool de São Paulo, o restaurante Chez Oscar é conhecido pela atmosfera intimista, a clientela moderna e a curadoria musical que agita a noite paulistana reunindo artistas, fotógrafos, modelos, estilistas e músicos em um só lugar. Para o Pineapple Route, o bartender da casa preparou o The Ocean Drive que leva Absolut Elyx, sucos de pêssego, abacaxi e de limão, xarope de açúcar, finalizado com pimenta caiena.

MANÍ
Drinque: Jardim do Éden (R$ 85)
O Maní, restaurante de gastronomia contemporânea dos premiados chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo, participa do Pineapple Route com o drinque Jardim do Éden. A chefe de bar Márcia Martins, que trabalha há dez anos na casa, se inspirou na leveza da vodka para criar a receita que leva Absolut Elyx, champagne Perrier-Jouët, abacaxi flambado, suco de limão siciliano, xarope de melaço, folhas de hortelã, manjericão e sálvia e mini flores para decorar.

IMG_1423

MIYA
Drinque: Wahine (R$ 60)
Com um nome que significa templo em japonês, o restaurante Miya do renomado Chef Flávio Miyamura surpreende pela experiência gastronômica descomplicada e criativa no aconchegante endereço no bairro de Pinheiros. O bartender da casa, Walter Fraigola Acosta, criou o drinque Wahine (que denota mulher, em havaiano), inspirado na cultura Tiki e na hospitalidade brasileira. Leva Absolut Elyx, sucos de grapefruit e tangerina, manjericão e soda de baunilha.

BAR NÚMERO
Drinque: Amethyst (R$ 75)
O Bar Número, na região nobre dos Jardins, participa do Pineapple Route com uma criação do premiado chefe de bar Derivan de Souza. Inspirado pelo perfume charmoso de notas frutadas, berries e violeta de hibiscos, o drinque intitulado Amethyst associa à vodka Absolut Elyx ingredientes como gelatina de framboesa com cassis, xarope Kaly Violeta, Amarena italiana, biter de hibiscos, gelo e champagne Perrier-Jouët Brut, completando o brinde de uma forma única.

SARAU
Drinque: Sarau Blackberry (R$ 78,90)
O gastrobar Sarau é conhecido por apostar alto no conceito contemporâneo de equilibrar a carta de drinques com um menu mais gourmet, conceito que reflete na criação do bartender Matheus Zandona. O Blackberry é uma mistura de Absolut Elyx, suco de cramberry, abacaxi, geleia de amora, manjericão, xarope de hibisco e bitter de angostura.

Vá de táxi
Como parte da sua política de consumo consciente, Absolut Elyx oferece um voucher de R$ 20 do aplicativo Easy Taxi na compra de um dos drinques participantes do Pineapple Route.

Hoje é dia de Nova Zelândia! Hoje é dia do Sauvignon Blanc!

Hoje é dia de Nova Zelândia! Hoje é dia do Sauvignon Blanc! “New Zealand Sauvignon Blanc Day!”

New Zealand Wine Growers, Associação de produtores de vinhos da Nova Zelândia, promove o Dia do Sauvignon Blanc no dia 6 de maio, em diferentes cidades do mundo.

A noite começou com a chegada de jornalistas, sommeliers e formadores de opinião. E com a incrível e irreverente palestra da Alexandra Corvo, uma expert no assunto.

Essa linda região tem em sua recente história vínica, uma casta que virou referência em vinhos neozelandeses, a Sauvignon Blanc.

Os primeiros vinhedos nessa região tão austral, foram plantados na Ilha Norte. Somente depois de décadas, aproximadamente na década de 1970, é que os primeiros vinhedos foram plantados na ilha Sul. Uma região com solos e climas diferenciados da região Norte da Ilha.

Mas estamos aqui para falar da mais reverenciada uva da Nova Zelândia. A Sauvignon Blanc, que no lado Sul da ilha e nas regiões mais frias, como Marlborough, representa uma boa parcela dos vinhedos desta casta, tendo assim um maior destaque.

Your-Favorite-White-Wine-Sauvignon-Blanc

Com aromas cítricos intensos ou com mais mineralidade, os vinhos desta casta vem ganhando um lugar muito especial no mundo.

O Sauvignon Blanc representa 85% de todos os vinhos exportados no país. A Nova Zelândia exportou o equivalente a NZ$1.5 billion de vinhos em 2015, e o objetivo da NZ Wine é chegar a $2 billion até 2020. O Brasil é o maior mercado ( informações vinda, do próprio consulado da Nova Zelândia).

O evento contou com a participação de 7 importadoras, que apresentaram 13 marcas diferentes aos convidados presentes.

O grande destaque da noite, foi para o Brancott Estate Letter Series “B” Sauvignon Blanc. Um vinho que se diferencia pela sua produção, somente é elaborado em safras especiais, e tem uma leve passagem em barrica de carvalho.

A dica é: Hoje é sexta feira dia de comemorar, brindar e degustar um Sauvignon Blanc da Nova Zelândia.