Espírito Santa, um restaurante divino em Santa Teresa

Uma fachada simples esconde vários ambientes incríveis, com bebidas e comidas deliciosas, assim é o Espírito Santa, um restaurante divino em Santa Teresa.

Em um domingo comum, no Rio de Janeiro, resolvi ir a pé da Glória até Santa Teresa, quem conhece o caminho sabe que tem uma subidinha invocada, claro que cheguei lá em cima morrendo de fome e sede, passei por um restaurante alemão que não me chamou muito a atenção, um pouco mais a frente uma moça simpática, me mostrou o cardápio de outro restaurante, o Espírito Santa, ela contou que a chef é manauara e me convidou para conhecer a casa, a fachada era bem simples, mas quando eu entrei…

Espírito_Santa-001

O primeiro salão, mais perto da porta, é bem aconchegante, dali é possível ir para um terraço ao ar livre ou descer uma escada até um salão maior, com ar condicionado, muito confortável. Como estava super calor, resolvi ficar no salão maior do piso inferior, a vista, para as casas antigas e majestosas de Santa Teresa, é a mesma do terraço. De cara já me senti muito à vontade no Espírito Santa.

O garçom rapidamente trouxe o cardápio e nós pedimos uma caipirinha de maracujá e um coquetel da casa, o Sateré Maué, drink super refrescante com guaraná, vodka, suco de laranja e gengibre.

Espírito_Santa

Para acompanhar os drinks, pedimos dois pratos com carne, o Guerreiro (medalhão de mignon grelhado com queijo brie e crosta de pão ao alho, molho de vinho e chips de batata) e o Picadinho Atolado (filé mignon picado na faca salteado com vinho, servido sobre aipim manteiga cozido, farofa de erva mate à moda do Vergara).

Todos os pedidos feitos no Espírito Santa estavam sensacionais, mas o que mais nos surpreendeu e fez um namorado que não gosta de doces devorar a sobremesa, foi o Maracatu (tortinha crocante de chocolate recheada com doce e geleia de cupuaçu, crocante de castanha e calda de chocolate), minha boca enche de água só de pensar.

Elogios não conseguem descrever a maravilha que é este lugar, vocês têm que conhecer o Espírito Santa!

Para maiores informações clique em cima do nome do estabelecimento, no primeiro parágrafo.

Dia da Mulher – Célia Salles, CEO da Cachaça WIBA!

Vamos comemorar o Dia da Mulher com a carta de uma mulher inspiradora, a Célia Salles, CEO da Cachaça WIBA! Ela escreve uma carta às mulheres que gostam de beber:

Meu nome é Célia, tenho 50 anos e sou cachaceira. Sim e com muito orgulho. Teria nome mais indicado para isso? Afinal eu produzo cachaça e tenho responsabilidade por toda a parte de fabricação da bebida. Não que eu não goste de beber, mas a palavra cachaceira sempre me remeteu a fulana que bebe qualquer coisa a doses extraordinárias de nada. Além de achar essa expressão um pouco pejorativa. Se fosse pra me rotular, me auto-intitularia como apreciadora de cachaça.

Outro assunto que me deixa incomodada ao ouvir, é que mulher não pode beber muito porque fica feio. Não estou falando de mulher bêbada que dá vexame, briga com as amigas, namorado, marido e sai batendo o carro por aí (homens também fazem isso e vamos combinar que é no mínimo deselegante para ambos os sexos). Estou falando de mulheres que gostam de sair para beber, se divertem experimentando a nova carta de drinks daquele bar de esquina recém-inaugurado e que adoram bebericar com as amigas uma cervejinha diferente. E se ela ainda puxar para o amargo, melhor ainda. Também tem vez aquelas que adoram reservar uma sexta-feira para fazer experiências etílicas com o namorado/maridão. Essas mesmas mulheres, geralmente são independentes, confiantes de si e não veem problema algum ficar vez ou outra, bêbadas. Sempre gostei de apreciar com moderação uma boa bebida, mas beber é humor, e cá entre nós, tem dias que sobe mais rápido. E acreditem, ainda conseguimos ser meigas e delicadas mesmo de porre. Ok, às vezes nem tanto. Mas vamos ao que interessa. Juro que vou tentar não ser prolixa.

Camila Cicolo_29-07#232E4B8

Antes de trabalhar com cachaça, confesso que era muito preconceituosa com a marvada. Só passava whisky pela a porta da minha casa. Sempre tive a sensação que cachaça foi feita pra cabra-macho. E foi por estar totalmente enganada que resolvi escrever essa carta. Na realidade já estava querendo escrevê-la há algum tempo. Talvez ela encoraje uma leitora a pedir sua primeira dose no bar, talvez ela ajude as mulheres que gostem de beber a acreditar que elas não estão fazendo nada de errado, absolutamente nada, ou talvez ela não sirva para nada.

Mulher, mesmo sem me conhecer ouça-me um pouco. Você ainda acha errado sair para beber sozinha ou com as amigas? Está com medo de pré-julgamentos? Te garanto que saímos da sombra e a nossa notoriedade aumentou no mercado de bebidas, onde até então prevalecia os homens. Hoje em vários lugares, já é possível pedir uma caipirinha e sermos servidas por uma super bartender. Já experimentou Saquê? Vodka? Tequila? Gin? Cachaça? Aposte na sua bebida preferida e na marca que te dê confiança (acordar com gosto de cabo de guarda-chuva na boca ninguém merece) e vá ser feliz. Não estou incentivando o uso de bebidas alcoólicas como meio de diversão, longe disso. O que venho propor por meio dessas palavras, é fazer com que você acredite que você é livre para beber o que quiser sem qualquer julgamento alheio. Eu por exemplo, não nego uma boa cachaça. E diante dos olhos de algumas pessoas, posso parecer bebum, mas ao dos meus amigos e do meu marido, não. Eles acham graça a forma que conduzo cada gole e depois que eu introduzi a bebida nas reunião familiares, nas festas e eventos, começaram achar a mulher bebedora desse destilado dotada de personalidade e originalidade. Tá vendo como tudo é questão de referência?

Já os homens machistas não têm vez. Mas aquele homem mesmo, aquele que te merece, vai dar pulos de felicidade ao saber que você pode ser a eterna companheira de doses dele. Homens que estão lendo esse texto, me corrijam se eu estiver errada.

Então a dica de hoje é: não importa o que você bebe ou o quanto você bebe. As pessoas sempre falarão. Mas você vai se importar com isso? Eu não tenho tempo para preconceito. O único tempo que eu tenho é para ser feliz. E eu procuro onde eu bem entender.

Saúde!

Piratininga, um boteco lindo de morrer!

Sabe quando você entra em um lugar e parece que foi transportada para um universo paralelo, onde tudo é lindo? Pois é, o Piratininga é assim, um boteco lindo de morrer!

A fachada do Piratininga é discreta, amarelinha, charmosa, aconchegante, mas quem passa pela rua Wisard, 149, nem imagina o universo mágico que existe dentro deste boteco.

Piratininga1

 

Ao entrar já damos de cara com um balcão sensacional, todo de madeira com flores de lis (minha preferidas) em relevo, com ganchos para pendurar a bolsa, repleto de garrafas incríveis e taças suspensas que fazem um efeito hipnotizador. No mesmo ambiente do bar, há algumas mesinhas dispostas despretensiosamente.

Piratininga2

Andando para o fundo do bar, nos deparamos com um salão muito maior que exibe um painel lindíssimo com caricaturas de cantores queridos, e um outro painel com uma foto antiga de São Paulo. Neste salão fica uma escadinha que nos leva a um mezanino, com vários instrumentos musicais.

Piratininga3

O que nos fez apaixonar pelo Piratininga são os detalhes, a chopeira antiga, a porção caprichada de frios para acompanhar o chope gelado, o chapeuzinho em cima da chopeira, ou seja, um charme de boteco, que nos fez ter vontade de morar lá para sempre!

Restaurante japonês com drinques para abrir o apetite

Localizado no Itaim Bibi, em São Paulo,  o Kappa &Kanashiro é um restaurante japonês que oferece, além de um rodízio caprichado de comida japonesa, drinques para abrir o apetite.

Quando falamos de restaurante japonês já começamos a salivar, quando falamos de rodízio de comida japonesa então… Nossa a fome triplica! Mas e se eu te falar que existe um restaurante japonês, com rodízio de comida japonesa e drinques deliciosos para abrir o apetite?? Não dá vontade de sair correndo para lá?

IMG_4387

Pois muito bem, este restaurante existe, é o Kappa & Kanashiro e fica no Itaim. Lá é possível se esbaldar na carta de sakes e vinhos, também tem várias opções de cerveja, mas quem rouba a cena são, sem dúvida, os drinques com cachaça!

Eles são feitos com cachaça de altíssima qualidade e com uma combinação de frutas e ervas que deixam os drinques, leves e refrescantes! Perfeitos para harmonizar com o cardápio japonês.

IMG_4384

 

Então não perca tempo e vá experimentar a inusitada combinação de restaurante japonês e coquetelaria ainda hoje!

Ganhe um shot das Meninas no Boteco no Só Shots!

 

Visitamos o bar Só Shots e ficamos enlouquecidas com tantas variedades, mas teve um shot, especificamente, que é a cara das Meninas no Boteco, descubra qual é o nosso shot e ganhe um shot você também.

IMG_3869

Localizado no Itaim Bibi, o Só Shots é dos mesmos donos dos bares Vaca Véia e La Maison Est Tombée, logicamente, a atração da casa são os shots. A variedade é enorme, tem shots de cachaça, gim, uísque, vodca, licor, sem falar nos shots de drinques, como o Negroni e o Rabo de Galo… É o reino encantado dos shots!

IMG_3865

Mas as opções não ficam restritas aos shots, você pode pedir sua bebida em copos de 300 ml, 100 ml ou 50 ml (shot), e pode também levar versões de drinques clássicos engarrafados para casa. Além das bebidas há várias opções de comidinhas de boteco, algumas delas ficam expostas no balcão de propósito, para ficarmos com ainda mais vontade de comer.

Experimentamos vários deles, mas teve um em especial com o qual nos identificamos muito! Vocês já sabem que nós adoramos cachaça e que somos mulheres decididas, ousadas e confiantes. Com todas essas dicas fica muito fácil descobrir qual é o nosso shot preferido. Então vá até lá e conte para o garçom o nome do nosso shot, se você acertar, ganha na hora um shot para você saborear!

Mas corra que essa cortesia só é válida até o dia 14/11/2015!