Bia Bier – Aprenda a Fazer Cerveja em Casa – Curso Online

O QUE IREI APRENDER NO CURSO ONLINE BIA BIER ?
Você irá aprender o passo a passo de como produzir a sua Cerveja em casa.
Vai aprender desde as tarefas simples de como Moer o Malte, até tarefas mais avançadas como Hidratação da Levedura e Fermentação.

Vai aprender a função da Água, do Malte, do Lúpulo e das Leveduras!

Neste curso online são abordadas todas as Etapas do Processo de Produção de Cerveja caseira: desde a moagem dos grãos, até os Segredos e Técnicas de engarrafar a sua própria Cerveja artesanal.

E o mais legal! Você aprende um método simples, conhecido como BIAB – Brew in a Bag – Fazendo Cerveja com uma única panela, sem dor de cabeça!

Hobby e muito Amor!
O amor pela Cerveja está em todo Lugar!
Imagine seus amigos, em sua casa, tomando uma cerveja que você fez!

Agora imagine não ter que precisar comprar mais cervejas cheias de conservantes e aceleradores químicos que te fazem um mal danado!

Imagine poder fazer disso um passatempo divertido com sua família, amigos e pessoas do seu convívio!

Fazer a sua própria Cerveja é bom demais!
E você vai adorar isso!

df5845_8ced46aaef634bf8af40f015a0603c72-mv2

Conheça a autora do Curso de Produção de Cerveja em Casa
FABIANA BÜLL HAIK – Bia
É Sommelière de Cervejas formada pelo Science of Beer Institute e Cervejeira Caseira. Fabiana fez cursos de Produção de Cerveja Caseira com o Mestre Cervejeiro João Becker (Academia de Ideias Cervejeiras) e Curso de Produção de Cerveja Artesanal pela Faculdade de Engenharia de Sorocaba (FACENS).
Formada em Comunicação Social com Habilitação em Rádio e Televisão pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP), Fabiana morou na Alemanha, onde agregou ainda mais seus conhecimentos Cervejeiros.

Aulas 100% em vídeo com a Bia ensinando o passo a passo:
As aulas são diretas e práticas. Você pode acompanhar tudo pelos vídeos e aprender todas as Etapas do Processo de Produção com a Bia. Tudo sendo feito passo a passo, bem didático.
O mais legal: você pode pausar o vídeo e ainda assistir ou retornar quantas vezes quiser!

Sala virtual com login e senha:
Toda a sala de aula fica na nuvem, ou seja, nossa plataforma de estudos é totalmente online. Assim, você pode assistir , onde e quando quiser, afinal, nosso sistema é compatível com muitos dispositivos.
É só você ter o sinal de internet e pronto! Estudar!

Suas dúvidas serão respondidas:
Se você tiver alguma dúvida durante a aula, você pode fazer sua pergunta na mesma sala que assistiu o vídeo e tirar sua dúvida diretamente com a Bia.
Temos uma área exclusiva para os alunos e suas dúvidas serão respondidas em no máximo 02 (dois) dias.

Atendimento via Skype ou WhatsApp:
Depois que você adquirir o Curso online Bia Bier, pode solicitar através do nosso email de contato, o Skype e o WhatsApp da Bia. Assim você pode tirar sua dúvida mais rápido e falar diretamente com ela.

O Curso online Bia Bier ensina você a fazer a sua própria cerveja! Depois que você abrir sua primeira garrafa, vai querer sempre fazer mais! Um Caminho sem volta!

MUDANDO NOSSAS VIDAS
Fazer Cerveja em Casa é um Hobby, uma paixão, uma diversão!
Estudar Cerveja é bom demais e depois que você fizer isso, terá muito mais prazer em viver! Pode Acreditar!
Fico Feliz pelas mudanças de vida das pessoas que aprendem a fazer cerveja em casa. Elas são muito mais felizes!

O QUE EU VOU APRENDER NO CURSO BIA BIER?
Você vai aprender a produzir a sua própria Cerveja
Vai aprender quais são as matérias – primas básicas da Cerveja
Vai entender todas as Etapas do Processo de Produção de Cerveja em Casa.

Dia da Mulher – Célia Salles, CEO da Cachaça WIBA!

Vamos comemorar o Dia da Mulher com a carta de uma mulher inspiradora, a Célia Salles, CEO da Cachaça WIBA! Ela escreve uma carta às mulheres que gostam de beber:

Meu nome é Célia, tenho 50 anos e sou cachaceira. Sim e com muito orgulho. Teria nome mais indicado para isso? Afinal eu produzo cachaça e tenho responsabilidade por toda a parte de fabricação da bebida. Não que eu não goste de beber, mas a palavra cachaceira sempre me remeteu a fulana que bebe qualquer coisa a doses extraordinárias de nada. Além de achar essa expressão um pouco pejorativa. Se fosse pra me rotular, me auto-intitularia como apreciadora de cachaça.

Outro assunto que me deixa incomodada ao ouvir, é que mulher não pode beber muito porque fica feio. Não estou falando de mulher bêbada que dá vexame, briga com as amigas, namorado, marido e sai batendo o carro por aí (homens também fazem isso e vamos combinar que é no mínimo deselegante para ambos os sexos). Estou falando de mulheres que gostam de sair para beber, se divertem experimentando a nova carta de drinks daquele bar de esquina recém-inaugurado e que adoram bebericar com as amigas uma cervejinha diferente. E se ela ainda puxar para o amargo, melhor ainda. Também tem vez aquelas que adoram reservar uma sexta-feira para fazer experiências etílicas com o namorado/maridão. Essas mesmas mulheres, geralmente são independentes, confiantes de si e não veem problema algum ficar vez ou outra, bêbadas. Sempre gostei de apreciar com moderação uma boa bebida, mas beber é humor, e cá entre nós, tem dias que sobe mais rápido. E acreditem, ainda conseguimos ser meigas e delicadas mesmo de porre. Ok, às vezes nem tanto. Mas vamos ao que interessa. Juro que vou tentar não ser prolixa.

Camila Cicolo_29-07#232E4B8

Antes de trabalhar com cachaça, confesso que era muito preconceituosa com a marvada. Só passava whisky pela a porta da minha casa. Sempre tive a sensação que cachaça foi feita pra cabra-macho. E foi por estar totalmente enganada que resolvi escrever essa carta. Na realidade já estava querendo escrevê-la há algum tempo. Talvez ela encoraje uma leitora a pedir sua primeira dose no bar, talvez ela ajude as mulheres que gostem de beber a acreditar que elas não estão fazendo nada de errado, absolutamente nada, ou talvez ela não sirva para nada.

Mulher, mesmo sem me conhecer ouça-me um pouco. Você ainda acha errado sair para beber sozinha ou com as amigas? Está com medo de pré-julgamentos? Te garanto que saímos da sombra e a nossa notoriedade aumentou no mercado de bebidas, onde até então prevalecia os homens. Hoje em vários lugares, já é possível pedir uma caipirinha e sermos servidas por uma super bartender. Já experimentou Saquê? Vodka? Tequila? Gin? Cachaça? Aposte na sua bebida preferida e na marca que te dê confiança (acordar com gosto de cabo de guarda-chuva na boca ninguém merece) e vá ser feliz. Não estou incentivando o uso de bebidas alcoólicas como meio de diversão, longe disso. O que venho propor por meio dessas palavras, é fazer com que você acredite que você é livre para beber o que quiser sem qualquer julgamento alheio. Eu por exemplo, não nego uma boa cachaça. E diante dos olhos de algumas pessoas, posso parecer bebum, mas ao dos meus amigos e do meu marido, não. Eles acham graça a forma que conduzo cada gole e depois que eu introduzi a bebida nas reunião familiares, nas festas e eventos, começaram achar a mulher bebedora desse destilado dotada de personalidade e originalidade. Tá vendo como tudo é questão de referência?

Já os homens machistas não têm vez. Mas aquele homem mesmo, aquele que te merece, vai dar pulos de felicidade ao saber que você pode ser a eterna companheira de doses dele. Homens que estão lendo esse texto, me corrijam se eu estiver errada.

Então a dica de hoje é: não importa o que você bebe ou o quanto você bebe. As pessoas sempre falarão. Mas você vai se importar com isso? Eu não tenho tempo para preconceito. O único tempo que eu tenho é para ser feliz. E eu procuro onde eu bem entender.

Saúde!

Laranja Mecânica – O drink do Halloween

Gostosuras ou travessuras?? Para que a sua festa seja arrepiante e surpreendente, vamos passar a receita do Laranja Mecânica, o drink do Halloween!

O Laranja Mecânica é um coquetel criado por Jean Ponce (ex-D.O.M. e atual consultor criativo da cachaça premium Yaguara) para o Halloween.

Jean, que é formado em coquetelaria clássica e autoral, quis trazer ingredientes típicos do Brasil para este drink, como é o caso da abóbora e da própria cachaça. A intenção do mixologista é aproximar o Halloween, festividade popular nos EUA, da nossa cultura e folclore. Veja a receita:

Laranja_Mecanica

Laranja Mecânica

  • 50 ml de cachaça Yaguara
  • 80 ml de suco de abóbora
  • 10 ml de suco de limão siciliano
  • Pimentas maceradas

Bater 300 g de abóbora no liquidificador e coar. Misturar com o suco de limão siciliano, a Yaguara Blended e bater na coqueteleira. Fazer uma dupla coagem e servir em um copo on the rocks com uma pedra grande de gelo. Guarnecer com uma pequena fatia de abóbora e pimentas de cheiro.

Boa festa!!

Treino e Dieta no Boteco

Para quem pensou que a nossa vida se resumia em beber e comer, chegou a hora da verdade! Também existe treino e dieta no boteco das meninas e agora vocês vão conhecer os maiores responsáveis pela nossa saúde e boa forma, o Eden, nosso coach de treinamento funcional personalizado, e o Diego, nosso nutricionista, que revelaram suas trajetórias profissionais e o trabalho que desenvolvem com a gente, nas entrevistas abaixo.
Eden

Coach: Eden Carlos de Jesus

Meninas no Boteco (MB): Qual sua formação?
Eden Carlos de Jesus (EDC): Licenciatura Plena em Educação Física, Mestre em Ciências Biológicas (Ambos UNIVAP), Personal & Professional Coach pela Sociedade Brasileira de Coach, Functional Training Prescription Specialisty pela IFBB/Academy, Certificação Instrutor de TRX, Especialização em preparação física e modalidades esportivas de combate. Certificação em levantamento de peso olímpico integrado (ta bom NE, rssrsr)

MB: Quais são seus campos de atuação atualmente?
EDC: Sou CEO do Studio Eden de Treinamento Funcional Personalizado®, CEO/Co-Founder do Centro de Treinamento Funcional CrossTraining EDN®, HeadCoach do Programa Funcional YLife ACM São Paulo, Especialista em Transformação (Personal trainer e Life Coach), Professor Universitário, Capacitador Profissional e Palestrante Nacional, Preparador Físico do Atleta de Futebol Casemiro (Porto Portugal/Seleção Brasileira) e do Atleta de Futebol Sérgio Mota (ex São Paulo), Idealizador do Método Capoeira Adaptada para Idosos, Praticante de Judô, Brazilian Jiu Jitsu e Capoeira.

MB: Conte mais sobre sua filosofia de trabalho.
EDC: Acredito que as nossas conquistas estão intimamente ligadas ao planejamento que fazemos de nossa vida. Se quisermos algo, precisamos planejar e calcular cada um de nossos passos e ir atrás deste objetivo. Devemos sempre sonhar, mas isso acontece quando estamos de olhos fechados e quando abrimos a melhor forma de realizar é planejar e nos mover para a ação. O que me move é a busca interminável pelo conhecimento, evolução e reconhecimento da comunidade em saber que posso contribuir para mudar a percepção, o pensamento e as atitudes das pessoas em relação ao desenvolvimento tanto físico quanto mental. Trabalho para que o profissional “Personal Trainer” deixe de ser visto como luxo de poucos, e que seja valorizado por seu currículo e conhecimento diferenciado, que a sociedade realmente valorize o ser Personal Trainer sabendo que este é diferente de outros profissionais da área. Assim que me formei, já em 2005, comecei a atuar como Personal Trainer. Atendendo somente clientes em suas residências, mas hoje além de atender alguns alunos em suas residências, sou proprietário de um Studio de Treinamento Funcional Personalizando, atendendo pessoas que buscam por qualidade de vida e estética, pessoas com deficiência física e alguns atletas, já passou por mim os jogadores de futebol Casemiro e Sérgio Mota, o atleta de Jiu Jitsu David Juliano Lemes e a atleta da seleção brasileira de TaeKwonDo Júlia Vasconcelos. E já estamos partindo para a inauguração da segunda unidade do Studio. Completamos um ano de meu Centro de Treinamento Funcional, onde desenvolvemos minha própria metodologia de treinamento funcional só que para grupos maiores. Pois a partir de uma necessidade que vi que nem todas as pessoas que buscam por minha metodologia tem condições de pagar o valor de um personal trainer, então decidi abrir esta opção de serviço, porque além de dar oportunidade para mais profissionais de estarem empregados, dou esta opção para a população preocupada em manter a qualidade de vida e saúde. Além dos cursos que ministro em meu Studio, também viajo pelo Brasil ministrando cursos de Treinamento Funcional e Treinamento Suspenso. E agora também iniciei o trabalho com palestras motivacionais. Baseado na filosofia da intensidade e movimentos constantemente variados hoje desenvolvo o treinamento funcional aliado a minha formação em coaching, com o foco na performance do cliente, sendo um parceiro comprometido com o que o cliente busca de resultados. Foi por meio deste método que, no ano de 2014, recebi um convite da ACM de São Paulo, para implantação de meu método de trabalho nas unidades da ACM no estado, assim todo o projeto fica sob minha responsabilidade, desde a estruturação do local do treinamento à capacitação dos professores que vão ministrar as aulas. Para mim o Personal Trainer é por si só uma definição que já nos remete há algo diferente, “ser Personalizado”, ser diferente, em relação a outros profissionais por sua constante busca pelo conhecimento e especializações das mais diversas. E que temos como missão “ajudar nossos clientes a alcançar seus objetivos físicos e mentais de forma plena, eficiente e no menor tempo possível”. Hoje sou reconhecido por meus clientes e destacado em minha área de atuação devido a divulgação do Treinamento Funcional e principalmente por trabalhar como Personal Trainer, colaboro com o Jornal OVale com matérias bimestrais referente a saúde e qualidade de vida. Já fui matéria de capa da Revista BoaForma de Dezembro de 2011 e da SportLife em Julho de 2012, falando do treinamento de intensidade. Além de algumas participações na TVBand e TV Vanguarda sobre minha metodologia de trabalho. E que em 2007 me rendeu o Prêmio de Profissional de Educação Física do ano na categoria ginástica adaptada. Prêmio oferecido pelo CREF devido a minha metodologia de Capoeira Adaptada para idosos. E em 2013 e 2014 fiquei entre os 3 finalistas do Premio Personal Trainer do Ano concedido pela Sociedade Brasileira de personal trainers.

MB: Você acredita que é possível manter a forma frequentando bares e festas com comidas e bebidas, não necessariamente saudáveis, ou seja, “botecando”?
EDC: Vocês sabem que não concordo, rsrsrsrs, maaaaassss vamos lá…. de que tipo de forma vocês falam? Para ser um atleta você deve viver a vida de um atleta e isso envolve desde o treinamento regrado a alimentação e descanso adequados. Mas como nem todos querem ter uma vida de atleta, ou simplesmente manter a saúde de ossos e músculos e por que não um corpinho que mostre que você pratique exercícios, acredito que pode haver o equilíbrio, sem exageros. Praticar atividades físicas regularmente durante a semana e aos finais de semana ser mais equilibrado nos excessos de bebida e comida irregular.

MB: Por que você aceitou o desafio de adequar nosso treino às idas aos botecos? Você acredita que nós vamos conseguir manter a forma?
EDC: Simplesmente pelo fato de que adoro desafios! E pelo que já comentei acima.

MB: Como foi elaborar um treino para duas pessoas que não têm vergonha de assumir que bebem e comem “besteiras” pelo menos três vezes por semana?
EDC: Isso é o que mais encontramos na minha profissão, nem todos são atletas, são pessoas normais que buscam o beneficio da atividade física sem abrir mão de sua vida social, e prescrição de treinamento personalizado como o próprio nome diz, deve ser personalizado de acordo com a necessidade e objetivo de cada pessoa.

 

Diego-2

Nutricionista: Diego Alexandre Nadalon

Meninas no Boteco (MB): Qual sua formação?
Diego Alexandre Nadalon (DAN): Nutricionista Clínico e Esportivo.

MB: Quais são seus campos de atuação atualmente?
DAN: Sou nutricionista formado em Porto Alegre / RS pela Rede Metodista de Educação do Sul (IPA/IMEC) com pós-graduação em Nutrição Clínica pelo Colégio Brasileiro de Estudos Sistêmicos (CBES) e especialização em Nutrição Esportiva pela GANEP. Proprietário da empresa DAN Nutrition onde atuo com atendimento em consultório. Além dos atendimentos, também presto consultoria para empresas, nutricionistas e estudantes. Escrevo algumas colunas para sites de saúde e nutrição. Ainda, atuo como Personal Diet na elaboração de programas de emagrecimento individualizado e personalizado.

MB: Conte mais sobre sua filosofia de trabalho.
DAN: Desde que me formei frequento cursos, palestras, congressos e jornadas a fim de sempre estar atualizado para melhor atender meus pacientes. Trabalho com o atendimento clínico e esportivo no qual a consulta é baseada na individualidade bioquímica e na nutrição funcional. Minha maior preocupação é que você se sinta a vontade e satisfeito com os resultados atingidos.

MB: Você acredita que é possível manter a forma frequentando bares e festas com comidas e bebidas, não necessariamente saudáveis, ou seja, “botecando”?
DAN: Acredito que havendo um equilíbrio na alimentação do dia a dia aliada à prática de atividade física regular podemos ingerir de tudo um pouco na nossa alimentação e mesmo assim manter a boa forma. Temos que saber controlar o desejo por algum alimento em determinadas situações e saber a hora para desfrutar deste prazer à mesa.

MB: Por que você aceitou o desafio de adequar nossa dieta do dia a dia às idas aos botecos? Você acredita que nós vamos conseguir manter a forma?
DAN: Não só acredito como já estamos obtendo bons resultados! Nesta primeira fase já conseguimos reduzir o percentual de gordura e melhorar hábitos alimentares. Um desafio como este é muito interessante, pois conseguimos mostrar para o público, que hoje está muito focado na busca pelo corpo perfeito, que somos feitos de carne e osso e precisamos viver e cultivar um estilo de vida que nos faça feliz e com saúde!

MB: Como foi elaborar uma dieta para duas pessoas que não têm vergonha de assumir que bebem e comem “besteiras” pelo menos três vezes por semana?
DAN: Foi desafiador. Pois não sabia como iria ser a adesão ao plano alimentar. No entanto as “Meninas no Boteco” se mostraram muito bem empenhadas e isto tornam as coisas mais fáceis.

MB: Você poderia nos dar algumas sugestões de porções de boteco que não atrapalhem tanto a dieta? Faz sentido dar preferência às porções com mais proteína (ovo de codorna, tiras de filé ou de frango)?
DAN: Uma opção clássica e que sempre oriento em botecos é pedir a mandioquinha cozida e não frita, uma porção de carne magra e uma salada. Desta forma, na medida do possível a refeição estará balanceada. O ovo de codorna possui muita gordura, em especial o colesterol. Por isso deve ser consumido com moderação. Tiras de carne (frango/filé) são boas opções desde que não sejam fritas.

MB: E as bebidas, é melhor optar por bebidas fermentadas ou destiladas? E a quantidade, faz diferença? E a hidratação, como fica?
DAN: O ideal seria beber sempre com moderação. Algo em torno de 1 taça de vinho ou 1 copo de chope. Caso for tomar uma caipirinha, peça para ser adoçada com mel ou adoçante natural. Não se esqueça de se hidratar com água sempre, durante o dia e, principalmente durante, a noitada a fora…

20 mil pessoas participaram da Semana Mesa SP

Novembro está sendo um mês super agitado, cheio de eventos. Um deles foi a Semana Mesa SP 2014, que aconteceu entre os dias 3 e 5 e reuniu 20 mil pessoas, 140 chefs da cozinha nacional e internacional e 30 produtores de diversas regiões do país, em 150 atividades paralelas.

Nós passamos por lá no intervalo entre um evento e outro, foi o tempo de tomarmos uma cerveja no estande da Baden Baden e conversarmos com alguns produtores, mas a vontade de ficar e assistir à todas as palestras foi enorme!!!

01

 

Segue abaixo o release enviado pela assessoria de imprensa da Semana Mesa SP, para maiores informações:

O evento foi promovido pela revista Prazeres da Mesa e Senac – SP que, este ano, abordou o tema “Conexão Essencial: o produtor familiar e a cozinha”.

Subiram ao palco do congresso internacional Mesa Tendências grandes nomes da gastronomia nacional e internacional, para apresentar à plateia a história e as particularidades dos seus mais fiéis produtores. A chef Roberta Sudbrack trouxe Dona Fátima (brotos e ervas), do Sítio Verde Orgânicos, Brejal-Petrópolis/RJ; o chef Guga Rocha apresentou Rafaela Suassuna (queijo de cabra inspirado nos quilombos), de Recife/PE; a chef Ana Luiza Trajano palestrou ao lado dos produtores João Neto (porcos Monteau) e Patrícia Polato (Linguiçaria Real de Bragança), Bragança Paulista/SP. Também no Mesa Tendências aconteceu o lançamento do Guia Alimentar da População Brasileira, que contou com a participação do Prof.º Carlos Monteiro e Patrícia Jaime, do Ministério da Saúde.

Entre as atrações internacionais, merece destaque a divulgação dos assuntos discutidos na reunião do G11, Conselho Internacional do Basque Culinary Center, formado por onze dos mais importantes cozinheiros do mundo com a participação do prestigiado chef espanhol Ferran Adriá, do francês Michel Bras, do japonês Yukio Hattori, do chileno Rodolfo Guzman, do mexicano Enrique Olvera, do espanhol Joan Roca, do peruano Gastón Acurio e do brasileiro Alex Atala, que este ano assumiu o papel de anfitrião. Também palestraram no evento o argentino Antonio Soriano, ao lado do caçador Joaquim Schittko e jornalista e escritora Soledad Barrut que falou sobre ‘o futuro da alimentação se houver comida no futuro’.

O encerramento ficou a cargo do chef francês Michel Bras, um dos mais influentes do mundo. Em bate-papo com o jornalista Josimar Melo, ele emocionou a plateia ao falar sobre suas inspirações e seus pratos mais emblemáticos como o gargouillou e o bolinho coulant (receita que inspirou o petit gâteau). O público presente também conheceu o tema da Semana Mesa SP para 2015: “A Nova Gastronomia: compartilhando, cultura, conhecimento e paixão.

Muito disputado pelos comensais, o Mesa Ao Vivo proporcionou cerca de 30 atividades diárias, com aulas abertas com notáveis chefs, degustações com opções de vinhos, espumantes e cervejas especiais. Por lá, o público conheceu ingredientes e aprendeu receitas de diferentes regiões do Brasil em aulas ministradas por chefs como Janaina Rueda, Bar da D. Onça (São Paulo); Manu Buffara, do Manu (Curitiba); Edinho Engel do Amado (Bahia), Wanderson Medeiros, do Picuí (Alagoas), Floriano Spiess, do Cozinha do Autor (Porto Alegre), Kátia Barbosa do bar Aconchego Carioca e Flávio Miyamura, do Miya. Na área etílica, aconteceram os workshps com degustações como o Wine of Argentina e a palestra sobre a harmonização entre Cachaça e Queijo, com Jairo Martins e o mestre queijeiro italiano Renato Brancaleone.

O Farofa estreou na programação da Semana Mesa SP com a missão de fortalecer as raízes da cozinha brasileira e estreitar a relação entre comensais público, produtores, chefs e restaurantes. Com entrada gratuita, a feira gastronômica comercializou cerca de 7.240 refeições nos food trucks e barracas com comidas regionais elaboradas por chefs consagrados como Wanderson Medeiros, do restaurante Picuí (AL), Edinho Engel, do Amado (BA), Onildo Rocha, Grupo Roccio (PB), Marcos Livi do Veríssimo Bar (SP) e chef do Slow Food. O local também acolheu 10 barracas de produtores familiares onde o público interagir e adquiriu os ingredientes diretamente dos produtores de diferentes regiões do País.
Apaixonados por queijos puderam degustar e votar no Primeiro Concurso de Queijos Artesanais do Brasil, promovido pela Mercearia Mestre-Queijeiro e pelo Slow Food Brasil. Nesta primeira edição, entraram na disputa cerca de 100 tipos de queijos de produtores de todo o país, que foram premiados com selos ouro, prata e bronze, não havendo um único vencedor.

O Mesa na Cidade, que aconteceu nos dias 4, 5 e 6 de novembro nos restaurantes Attimo, Tuju e Miya, reuniu notáveis chefs que elaboraram primorosos Jantares Magnos. No dia 4, os chefs Jefferson Rueda, Rodrigo Oliveira, Thiago Castanho e Alberto Landgraf cozinharam juntos no restaurante Attimo. Já no dia 5 as panelas do restaurante Tuju foram comandadas pelos chefs Lucas Bustos, Kamilla Seidler, Ivan Bielawski, Antonio Soriano e Michelangelo Cestari. No dia 6, o Miya, recebeu os chefs Flávio Miyamura, Daniel Redondo e Manu Buffara.