Mondial de la Bière 2015 – Montreal

Mondial de la Bière 2015, em Montreal, foi espetacular! Considerado o festival internacional de cerveja mais importante das Américas, a 22ª edição contou com mais de 150.000 beerlovers, 523 produtos disponíveis (cervejas, cidras Meads, e outros), 475 cervejas, incluindo 226 cervejas que foram feitas exclusivamente para o Mondial de la bière, mais de 85 cervejarias, incluindo 40 microcervejarias de Quebec e 16 pontos de alimentação (quiosques e foodtrucks).

IMG_9771A primeira edição do Mondial de la bière foi realizada em 1994, em Montreal, por três amantes da cerveja, incluindo Jeannine Marois, presidente do evento desde 2002. O objetivo do festival sempre foi oferecer aos visitantes uma educação sobre a cerveja. E o sucesso foi tão grande, que agora existem dois outros eventos o Mondial de la bière – Amérique du Sud, com uma terceira edição prevista para 19 a 22 de Novembro de 2015, no Rio de Janeiro (Brasil) e o Mondial de la bière – Europe, cuja sexta edição acontecerá de 19 a 21 de fevereiro de 2016, em Mulhouse (França).

Em 2013, quando eu morava em Montreal, fui pela primeira vez ao Mondial de la bière e fiquei fascinada pela variedade de cervejas e variedades de sabores, como maracujá, baunilha, café, bacon… Por isso que este ano eu me preparei para estar na cidade durante o evento e me surpreendi com o crescimento no números de expositores e com a qualidade das cervejas.IMG_9791

Seis cervejarias brasileiras participaram da 22ª edição, a Amazon Beer, a Bodebrown, a Cervejaria Colorado, a Cerveja Coruja, a Noi Cervejaria Artesanal e a Providência. Sendo que a cerveja Tripel Montfort Merlot Barrel Aged da Bodebrown ganhou medalha de ouro!

As cervejas que eu degustei nesta edição foram a IPA Mad Tom da Muskoka Brewery, a Bière de Noël da Trou du Diable, a Voyageur des Brumes da Dieu du Ciel, a Porter Baltique da Les Trois Mousquetaires, a Millésime da Brasseur de Montréal, a Dark IPA do (quintal de casa) Brutopia, a Buffalo Bill da Le Saint Bock e finalizei com a Be Hoppy da Wormtown Brewery.

Adorei tudo!! E espero ansiosamente pelo Mondial de la Bière no Rio!!!

Lançamento da Eisenbahn Ventura durante o Festival Brasileiro da Cerveja em Blumenau

A Eisenbahn, marca de cerveja especial da Brasil Kirin, nos convidou para o lançamento da Eisenbahn Ventura durante o Festival Brasileiro da Cerveja em Blumenau, na própria fábrica da Eisenbahn e essa experiência foi incrível! A cerveja é a vencedora do 5º Concurso Mestre Cervejeiro, sendo a primeira no estilo Belgian Blond Ale lançada pela marca. A receita desenvolvida por Anderson Faller foi eleita por um júri de 28 especialistas, como mestres cervejeiros, beer sommeliers, jornalistas e blogueiros conhecedores de cerveja, como a melhor entre mais de 1000 inscritas.
Eisenbahn2“A emoção já foi muito grande quando me ligaram para avisar que eu estava entre os cinco finalistas. A cerveja ficou muito boa, mas como sou do interior não imaginava que iria chegar aqui. Eu não queria mandar, mas minha namorada me incentivou muito. Foi a 18ª cerveja artesanal que fiz e a primeira no estilo Belgian Blond Ale”, afirma o vencedor do 5º Concurso Mestre Cervejeiro, Anderson Faller, que recebeu como prêmio a oportunidade de acompanhar a primeira brassagem da sua receita junto ao Mestre Cervejeiro Gerhard Beutling.

A Eisenbahn Ventura é uma Belgian Blond Ale cujas principais características estão na diversidade dos aromas frutados e notas de condimentadas como cravo e pimenta. Além disso, lembra uma Tripel, porém não muito amarga e mais adocicada, coloração acobreada e espuma com boa formação e persistente. O teor alcoólico é médio, 6,9%. Harmoniza perfeitamente com peixes como tilápia grelhada, frutos do mar, queijos semi duros e massa quatro queijos.

Produzida na fábrica da Eisenbahn de Blumenau, a cerveja é uma edição limitada e está disponível nos principais mercados do país. Os consumidores também podem encontrar o novo rótulo em bares que comercializam cervejas especiais, pubs cervejeiros, empórios e casas noturnas selecionadas pela Brasil Kirin.

As características da cerveja:

•Família: Ale
•Estilo: Belgian Blond Ale
•Cor: Dourado a cobre
•Aspecto: Límpido/Brilhante
•Espuma: Boa formação e aderência
•Aroma: Leve fenólico proveniente da levedura, condimentado e adocicado do malte.

Enfim, a cerveja é deliciosa!!!

Agradecemos a todos os envolvidos nesse evento pela oportunidade de conhecermos a fábrica da Eisenbahn durante um evento tão especial e de participarmos do Festival Brasileiro da Cerveja.

Tour Cervejeiro em Montreal

Em janeiro eu viajei para Montreal e, por sorte, encontrei um amigo, o Beto, que é sommelier de cerveja em Joinville, então resolvemos fazer um Tour Cervejeiro em Montreal.

Na avaliação das cervejas, o termo frescor e aromática vão parecer repetitivos, mas em brew pubs é o que se encontra e estando na América do Norte, o aroma e sabor dos lúpulos exibem características difíceis de conseguirmos nas cervejas produzidas no Brasil, pois lá eles são frescos, muitas vezes utilizados ainda em flor logo após a colheita, enquanto no Brasil a grande maioria das cervejas é produzida com o lúpulo já processado, em forma de pellet. Em 2014 algumas importadoras disponibilizaram lúpulos em flor no Brasil, embalados ao vácuo, mas os altos preços ainda são impeditivos para o uso em larga escala. Esperamos que isto mude em breve!

Nossa primeira parada foi no Broue Pub Brouhaha, esse pub é bem rústico, os móveis são de madeira maciça, bem pesados, as luminárias são em forma de barril, é muito legal e as cervejas/chopes que eles fazem são incríveis! Lá nós tomamos os seguintes chopes:
Fleur du Diable (Belgian Pale Ale – Brouhaha – 6,5%). Uma pale ale bem lupulada, com um teor alcoólico alto para o estilo, quase chegando a uma IPA. Excelente escolha, cerveja aromática, saborosa e muito fresca, evidenciando os lúpulos cítricos da escola americana;
Gose (Gose – Les Trois Mousquetaires – 3,8%). O estilo Gose é característico da Alemanha e é uma cerveja de trigo ácida. Bastante raro atualmente, pedimos uma taça deste pela curiosidade, visto que nenhum de nós havia ainda experimentado. Além disso, a cerveja estava passando pelo Randall (equipamento usado para realçar o aroma das cervejas, ao fazê-las fluir através de lúpulos em flor, frutas e outros condimentos) recheado de lúpulo amarillo e grapefruit. A cerveja em si tem baixo teor alcoólico e carbonatação, mas foi uma degustação válida pela raridade do estilo e pelo uso do randall;
Hopfenweisse (Wheat Ale – Les Trois Mousquetaires – 6%). Uma cerveja de trigo bem lupulada, novamente realçando o frescor e citricidade dos lúpulos americanos utilizados na receita. Excelente cerveja, muito refrescante e aromática;
Saison Voatsiperifery (Saison au Poivre – Brouhaha – 6%). Uma saison com pimenta, também muito aromática, com bastante condimentos, saborosa e fácil de beber;
Porter Baltique Édition Spéciale 2014 (Porter Baltique envelhecida em barris de Bourbon e Conhaque – Les Trois Mousquetaires – 10,5%). Hora de aquecermos para enfrentarmos os 20 graus negativos fora do Pub! A baltic porter é um estilo pouco difundido, característico da região dos bálticos, como o próprio nome sugere. No Brasil existe uma excelente opção, produzida pela Wensky Beer de Araucária – PR. Esta aqui é uma versão double ou imperial, com alto teor alcoólico, excelente para o inverno canadense. O envelhecimento em barris lhe confere notas de madeira, e whisky, além do café e chocolate característicos das porters;
Eisbock ou Doppel Bock? Acho que tomamos mais uma aqui! Para continuarmos o aquecimento e mantermos o nível alcoólico, decidimos tomar a ‘saideira’, uma doppel bock ( ?) com 11% de álcool. Estava ótima, mas a esta altura já estava difícil de memorizar as características dela!

brouhaha

O segundo foi o Helm, esse pub já é bem moderninho, a decoração é linda e os chopes que eles fazem são muito bons! Nós tomamos:
Fairmount (Cream Ale Bock – 6,25%). Uma cream ale bock porém de cor clara, servida ao estilo da Guinnes, realçando a cremosidade e adocicado do malte. Bem diferente das cervejas lupuladas, muito saborosa e fácil de tomar;
Hutchison (Extra IPA Bock – 6,75%). Pra não sairmos sem o amargor dos lúpulos na língua, esta IPA Bock foi uma ótima escolha. Novamente muito aromática e com frescor dos lúpulos realçados, prova mais uma vez que o consumo da cerveja no local onde ela é produzida garante que aproveitemos o máximo dos aromas e sabores dela.

helm

O terceiro pub foi o famosíssimo Brasserie Dieu du Ciel, que oferece 20 torneiras de chope da casa. Os chopes são, literalmente, DIVINOS!!!

Adendo do Beto: ‘A Dieu du Ciel é uma das melhores cervejarias do mundo, tendo conquistado diversos prêmios no Mondial de La Biére e outros concursos. O Brew Pub de Montreal foi onde toda sua história começou, em 1998 e, apesar de hoje a cervejaria possuir uma fábrica em St Jeróme, cidade a 60 Km de Montreal onde produz chopes e engarrafa suas criações, teve a felicidade de manter o brew pub em funcionamento com as mesmas características de seu início. É minha inspiração para o brew pub em Joinville e espero que algum dia consigamos produzir cervejas que chegam perto das produzidas aqui.’

Tomamos:

Équinoxe Pale Ale (Pale Ale – 5,4%). Esta é uma pale ale estilo americana, lupulada, aromática e com um amargor agradabilíssimo. Leve, refrescante e muito fácil de tomar, utiliza o lúpulo Equinox, uma variedade relativamente recente e muito boa;

Rigor Mortis Triple (Tripel – 9%). Menos 20 e alguns graus lá fora, é hora do aquecimento para encarar o frio. A Rigor Mortis faz jus ao nome, é um desafio para qualquer um encará-la! Uma tripel bem característica, maltada com notas de frutas escuras no aroma, consegue camuflar bem o teor alcoólico, o que é um perigo para os desavisados;

Péché Mortel (Imperial Coffee Stout – 9,5%). Quem for ao Brew Pub da Dieu du Ciel e não provar esta cerveja direto do barril ou as variações dela que estiverem disponíveis não será perdoado e não poderá dizer que esteve lá! A Péché Mortel ficou entre as 100 melhores cervejas do mundo em 2014 no ratebeer.com, mas basta degustá-la para não ser preciso a avaliação de qualquer pessoa para se chegar a esta conclusão. Disponível no Brasil em garrafa e chope, degustá-la aqui em Montreal é uma experiência única, e o sabor é outro, indescritível. Pode até ser psicológico, mas que é melhor, é! O sabor do café misturado aos maltes, o aroma de café ao chocolate, quase um cappuccino aliado à suavidade do corpo desta cerveja fazem sua degustação uma experiência sensorial única. Além disso, apesar de seu alto corpo, chegando mesmo a ser viscoso, e de seu alto teor alcoólico, é uma cerveja com alta drinkability, mais uma que irá castigar os desavisados. Excelente para fechar o dia de degustações e encarar o frio lá fora.

2015-02-25 19.17.04

Infelizmente, o Beto voltou para o Brasil, mas eu continuei firme no Tour Cervejeiro e fui parar na Benelux Brasserie Artisanale! Lá eles têm a opção de pedir um sampler de chopes, são cinco chopes de sua escolha entre os 11 que a casa produz. Meus escolhidos foram:
Berlinoise (Berliner Weisse – 4,2%);
Troy (Dry Stout – 5,5%);
Champion (American Pale Ale – 6,1%);
Grotesque (Pumpkin Ale – 7,1%);
Buzz IPA (American IPA – 7,4%).
A minha favorita foi a Buzz, então pedi mais um pint só para mim!

2015-01-24 19.34.36

Nosso Tour Cervejeiro acabou por aqui, mas Montreal tem muitas opções para quem gosta de tomar cerveja boa, são elas:
Bar Le Vestiaire;
Bier Markt Montréal. Visitei este, um lugar mais moderno, com ares de balada e uma excelente carta de chopes e cervejas. São 28 torneiras de chopes canadenses e importados e mais de 150 opções de cervejas em garrafas. Próximo ao Bell Center, se você for assistir a algum jogo dos Canadiens, passe aqui antes, tome um chope da Trou du Diable e peça um hamburguer. Não irá arrepender-se;
Bierbrier Brewing Inc.;
Brasserie BVM Inc.;
Brasseurs De Montréal. Brew pub com ares de fábrica, cervejas próprias e convidadas, mais uma excelente opção com suas sazonais para cada estação do ano;
Brasseurs R.J.;
Brasseurs Sans Gluten;
Brutopia, esse pub era minha segunda casa quando eu morei lá em 2013. Produz ótimas cervejas, que trazem notas características do local, provavelmente fruto da produção feita em seu porão e das leveduras selvagens que lá habitam. Não veja isto como algo ruim, são realmente cervejas diferenciadas;
EtOH Brasserie;
Isle de Garde Brasserie;
L’Amère à Boire. Mais um excelente brew pub, cervejas próprias e convidadas, com um cardápio variado e onde provei o hambúrguer de bisão, mais uma iguaria quebecoise;
La Succursale Brasserie Artisanale;
Le Cheval Blanc;
La Compagnie de Bière Brisset;
L’Espace Public-Brasseurs de quartier. Este local é uma espécie de cooperativa cervejeira, onde cervejeiros artesanais se unem para a produção. Tem poucas opções gastronômicas, então vá bem alimentado, pois as opções de cervejas são muitas e todas excelentes;
Le Saint-Bock;
Le Trèfle Taverne Irlandaise;
Les Soeurs Grises Bistro Brasserie;
Les 3 Brasseurs, esse pub é uma delícia e tem uma filial em São Paulo. Cinco estilos de cervejas fixas nas torneiras, mais a cerveja do mês, a da estação e duas em garrafa vendidas exclusivamente para consumo no local. O cardápio é excelente, este é o lugar para quem quer comer bem acompanhado de uma boa cerveja artesanal. Pratos típicos do Quebec, como o Poutine estão disponíveis. As sopas servidas no inverno também são excelentes;
McAuslan Brewing;
Réservoir;
Station Ho.st];
Vices & Versa.

2015-01-19 17.12.51-2 E para finalizar eu quero apresentar melhor o Beto para vocês, nós nos conhecemos em fevereiro de 2013 em Montreal durante um curso de francês, ele é engenheiro eletrônico por formação, tem 42 anos e começou a se interessar por cervejas artesanais em 2011, apresentado a elas por um amigo em comum ao dono de um empório em Curitiba. Dali para a paixão pelas artesanais foi um pulo e por um conjunto de acontecimentos que só podem ser definidos pelas tramas do destino, em 2012 se tornou um dos três proprietários do Empório Dublinn, primeira loja de cervejas artesanais de rua em Joinville. Inicialmente continuou trabalhando como engenheiro em paralelo ao trabalho na loja e ao curso da primeira turma de Beer Sommelier de Santa Catarina, curso este reconhecido pela ABS (Associação Brasileira de Sommeliers) e ASI (Association de la Sommellerie Internationale). Na mesma época começou também a produzir cerveja em casa, já pensando na evolução do seu empório para um Brew Pub. Em agosto de 2013 passou a dedicar-se exclusivamente ao negócio da cerveja e em janeiro de 2014, com e entrada de novos sócios, começaram o projeto de criação de um Brew Pub. A inspiração para o mesmo foi o Brew Pub da Dieu du Ciel, em Montréal, cidade na qual ele morou por um ano e meio durante seu mestrado em Engenharia de Produção. Depois de superarem todas as dificuldades e burocracias comuns às micro empresas em nosso país, abriram o novo pub no início de fevereiro e estão na etapa final de montagem da micro cervejaria, da qual devem degustar os primeiros litros no final de abril, início de maio. Curtam e acompanhem nossa página no Facebook para ficarem por dentro das novidades. E quando estiverem em Joinville não deixem de nos visitarem!

Vem aí o Mondial de la Bière

Mondial de La Bière ou Festival Internacional da Cerveja, foi fundado em 1994 por Jeannine Marois (sim, uma menina!) e sua equipe. É realizado em Montreal (Canadá), Mulhouse (França) e Rio de Janeiro (Brasil), onde acontecerá a próxima edição do evento, entre os dias 20 e 23 de novembro. Contando com mais de 600 rótulos de cervejas especiais, workshops e talk-shows, é o mais importante festival internacional de degustação e difusão da cultura cervejeira para mais de 20 mil pessoas.

Tem como objetivo restabelecer o status nobre de cerveja, proporcionando aos visitantes locais e estrangeiros a oportunidade de saborear uma ampla variedade de cervejas de qualidade, sempre com ênfase na conscientização do consumo responsável.

As cervejarias brasileiras confirmadas para o evento que acontecerá no Rio, no mês que vem, são: Backer, Baden Baden, Bodebrown, Burgman, Cervejaria Fraga, Cevada Pura, Cidade Imperial, Colorado, Dama Bier, Dom Haus, Eisenbahn, Insana, Invicta, Júpiter, Madalena, Magnus, Mistura Clássica, Noi, Província, Ravache, Schornstein, Seasons, Therezópolis, Tupiniquim, Urbana, Wals e Weird Barrel. Participar do Mondial de La Bière é uma experiência inesquecível, então garanta seu ingresso.

Mondial

 

Data: 20 a 23 de novembro de 2014.
Horário: De quinta a domingo, das 14h às 23h.
Local: Terreirão do Samba | Rua Benedito Hipólito, s/nº, Centro – Rio de Janeiro –
Ingressos: Preço a partir de R$ 35. Vendas pelo site:
www.mondialdelabiererio.com
Mídias Sociais:
www.facebook.com/MondialDeLaBiereRio
www.twitter.com/MondialBiereRj

 

 

Eu (Carol) estive presente na edição de 2013 em Montreal e foi muito legal, tem todos os tipos de cerveja que você pode imaginar, as pessoas nos estandes são muito simpáticas e dispostas a explicar tudo sobre a cerveja, suas principais características, como foi feita e as melhores harmonizações.

 

MDLB